A crise no mercado de trabalho não beneficiou da retoma

Trabalhador Industrial

Por em Notícias


A retoma económica não conseguiu reverter e resolver muitos problemas, que muito dificilmente se resolverão a curto prazo.O estudo “Mercado de trabalho em Portugal e nos países europeus: Estatísticas 2018”, que irá ser apresentado esta quarta-feira, em Lisboa, confirma isso mesmo. A crise económica e financeira teve forte impacto no emprego e desemprego, bem como na vida das famílias, destruindo centenas de milhares de postos de trabalho.

As pessoas mais pobres perderam mais do que o resto da população, devido ao desemprego, muitos desempregados não arranjaram trabalhos e pessoal bastante qualificado abandonou o país, que ficou mais “velho”.

No sector privado, dois terços da população que trabalha a tempo parcial gostaria de trabalhar mais horas e cerca de um terço tem contratos precários.

Também os empregos, criados nos últimos anos, são muito mal pagos, não havendo muita diferença em relação ao valor do salário mínimo nacional.

O tempo de trabalho tanto anual como semanal situa-se acima da média dos países europeus, embora a produtividade diverge negativamente face aos mesmos países.

O principal entrave ao desenvolvimento e crescimento da nossa economia é a Educação, pois cerca de metade da população empregada não vai além do ensino básico, afirma este Estudo.

Nós ajudamos a encontrar
o emprego certo para si.

Nós ajudamos a encontrar os
candidatos certos para a sua empresa.